Power Of Metal Community Joao Duarte - J.Duarte Design - http://www.jduartedesign.com/

Edu Falaschi (Almah, ex-Angra) começou sua carreira profissional no ano de 1990 com o nascimento do grupo Mitrium. Grupo este, caracterizado por permitir ao cantor iniciar sua trajetória como compositor, registrou a primeira Demo com a música “Just Remember” e, em 1992, a segunda com as músicas “The Shadows” e “You Can Choose The Side Of Darkness”, todas de autoria de Edu Falaschi.

A ascensão do Mitrium era muito evidente, tanto que se projetou rapidamente no cenário santista e, logo em seguida, partiram para a capital de São Paulo, onde, em 1993, assinaram com uma gravadora Army Records, que viria a lançar o que seria o primeiro registro fonográfico do conjunto. O disco era um split-LP chamado “Eyes Of Time” que continha quatro músicas: “Eyes Of Time”, “Run From The Fire”, “Lives So Close” e “The Shadows”. Esse disco recebeu, na época, diversos elogios da mídia especializada, proporcionando à banda o status de uma das melhores do Metal no estado de São Paulo.

Tal exposição, fez com que Edu Falaschi fosse convidado em 1994, à participar de um concurso mundial para substituir Bruce Dickinson, vocalista do Iron Maiden, banda Inglesa e uma das maiores bandas de Heavy Metal de todos os tempos. Edu manteve contato com Dick Bell, produtor da banda inglesa e esteve envolvido durante 1 mês com concurso, o que lhe rendeu inúmeras entrevistas no Brasil passando por Rede Globo, SBT, MTV, Rádio 97 FM, Folha de São Paulo, Estadão, etc.

Após um hiato de quatro anos se dedicando exclusivamente à faculdade, de 1994 à 1998, que culminou na saída de Edu Falaschi do Mitrium, o artista foi convidado pelo pessoal da banda Symbols Of Time, para ser o produtor do que seria o primeiro àlbum deles de estúdio. O vocalista do conjunto era seu irmão Tito Falaschi e, após algumas mudanças de formação, antes mesmo do início da pré-produção, Edu Falaschi além de produzir o disco acabou fazendo parte do grupo como membro oficial, a convite dos outros membros.

Ainda no ano de 1998, Edu Falaschi se envolveu em outro grande trabalho. Ele arranjou, produziu as melodias de voz e cantou no CD “Ordinary Existence” da banda paulistana Venus. Em paralelo, a Symbols Of Time resolveu então mudar o seu nome para Symbols, devido ao line up ser muito diferente do que iniciou o projeto. E nesse mesmo ano foi lançado o primeiro disco da banda auto-intitulado, Symbols. Mais uma vez Edu mostrava, agora para o Brasil, o seu trabalho como vocalista, compositor e arranjador profissional, o que rapidamente espalhou-se pelo circuito metálico no Brasil, tornando o Symbols uma das principais bandas de Heavy Metal do país, que se consolidou definitivamente no início de 2000, quando lançou o seu segundo trabalho, intitulado Call To The End, que alcançou um grande número nas vendagens no Brasil e no exterior.

No mês de junho do ano 2000, a banda Angra procurava por novos integrantes e Edu Falaschi já era um dos mais cotados para entrar na banda. Ainda como candidato à vaga de um dos mais importantes grupos do Metal mundial, ele recebeu um convite, no mês de agosto, para fazer alguns testes, junto com outros vocalistas.

Em janeiro de 2001 a banda Symbols viria a sofrer uma grande baixa com as saídas do seu irmão Tito Falaschi e do guitarrista Rodrigo Arjonas. Porém, Edu Falaschi ainda resolveu continuar na banda com seus companheiros remanescentes, inclusive até já estavam compondo o material do que viria se tornar o terceiro álbum. Todavia, alguns meses se passaram, até que finalmente Edu Falaschi recebeu a notícia de que seria definitivamente integrado à sua nova banda: o Angra; sendo então, impossível sua permanência à frente do Symbols.

Com muito trabalho, ainda em 2001, Edu Falaschi teve seu talento rapidamente reconhecido ao redor do mundo, como cantor e compositor. Logo em seu primeiro álbum lançado com o Angra, intitulado Rebirth, ele recebeu seu 1º disco de ouro no Brasil, com menos de 40 dias de vendagem, fato inédito na carreira da banda. Também no Japão, seu nome está em evidência novamente, sendo premiado como 3º melhor vocalista do mundo, pela renomada e mais importante revista de Rock japonesa, Burrn!

Edu Falaschi teve seu nome citado em muitas revistas e sites de vários países, sempre premiado como um dos melhores vocalistas de Metal da atualidade. Nesse mesmo álbum, Edu Falaschi compôs as clássicas: “Nova Era”, Heroes Of Sand, “Bleeding Heart”, dentre outras.

Uma longa e muito bem sucedida turnê mundial se iniciou no final de 2001, passando por 2002 e indo até o início de 2003. O Angra fez mais de cem shows pelo mundo, em pouco mais de um ano, passando por quase todos os continentes. A voz de Edu Falaschi ecoa pelos quatro cantos do planeta, dessa forma, a demanda pelos trabalhos do Angra aumentaram muito, fazendo com que a banda gravasse rapidamente um mini-álbum chamado “Hunters and Prey”. Logo em seguida, o grupo lançou seu primeiro DVD juntamente com um disco duplo ao vivo, chamado, Rebirth World Tour – Live in São Paulo. Todos os lançamentos foram sucesso absoluto de vendas no mundo todo. Depois de uma exaustiva turnê e diversos lançamentos, o quinteto resolve tirar um ano de férias.

No ano de 2003, o Angra participou de dois grandes festivais europeus, ao lado de nomes expressivos do cenário mundial, tais como: Whitesnake, Motorhead, Saxon entre outros. Em novembro do mesmo ano, Edu Falaschi se reúne novamente com o grupo que o projetou para o mundo, objetivados em iniciar a pré-produção do novo material de estúdio, que mais tarde seria batizado de Temple Of Shadows.

Edu Falaschi registrou os vocais na Alemanha e mais uma vez deixou sua marca. Nesse novo trabalho, Edu cantou ao lado de grandes nomes da música como Milton Nascimento, Kay Hansen (Gamma Ray), e Hansi Kürsh (Blind Guardian). Além de dar sua contribuição como compositor fazendo três das principais músicas do álbum: “Spread Your Fire”, “Angels And Demons” e “Wishing Well”.

O disco é lançado em setembro de 2004 no Japão e no Brasil. Resultado: Sucesso absoluto! Os mais importantes críticos japoneses deram as maiores notas e consideraram o álbum como o mais sofisticado da história da banda, sendo um divisor de águas, um marco na história do Heavy Metal, e declararam que nesse material se encontra a melhor performance da carreira de Edu Falaschi. Como se não bastasse, Temple Of Shadows foi digno de mais de cinquenta prêmios ao redor do mundo, o mais significativo deles, para o cantor, foi o prêmio concedido pela mais importante revista de Metal, a Burrn! do Japão, que elegeu Edu Falaschi como 2º melhor vocalista do mundo em 2005.

Desde o lançamento de Temple Of Shadows, Edu Falaschi fez com o Angra mais de cento e cinqüenta shows, passando pelas Américas do Sul, Central e do Norte, Europa, Ásia e Oceania. Foi uma longa turnê que consagrou o Angra e, por sua vez, o músico Edu Falaschi definitivamente em todo o planeta.

Além de estar extremamente ocupado com os compromissos junto ao Angra, Edu fez participações especiais em alguns discos de outros artistas, e também foi convidado pela Álamo, a gravar as versões em português das músicas de abertura e encerramento do desenho japonês Cavaleiros Do Zodíaco, “Pegazus Fantasy” e “Blue Forever”, transmitido no Brasil pela Rede de TV BANDEIRANTES o que veio a se tornar um verdadeiro fenômeno de audiência no país.

De dezembro de 2005, até Abril de 2006, o cantor gravou seu primeiro projeto solo chamado Almah, que foi lançado em Junho de 2006. Edu pôde mostrar mais uma vez seu já reconhecido talento como cantor, compositor e arranjador, mas dessa vez foi mais além, pois também, foi responsável por toda produção do projeto, desde a composição de todas as letras e músicas, até mesmo os arranjos para orquestra, teclados, violões, bateria, guitarra, baixo, etc. E como se não bastasse, o projeto Almah, em seu primeiro álbum auto-intitulado, contou com diversas estrelas do Rock mundial, tais como: Emppu Vuorinem (guitarrista do Nightwish), Lauri Porra (baixista do Stratovarius) e Casey Grillo (baterista do Kamelot). O material também contou com diversas participações especiais, dentre elas, a de Mike Stone (ex-guitarrista do Queensrÿche) e Edu Ardanuy (guitarrista do Dr. Sin).

Ainda em 2006, Edu Falaschi foi convidado especial do Projeto do baterista Uli Kusch (ex-Helloween), chamado “Glorious”, ao lado de grandes nomes do Metal mundial. E também gravou pela segunda vez, agora a convite da Play Arte, a versão em português da música “Never”, trilha de abertura do filme “Prólogo do Céu”, do desenho animado Cavaleiros do Zodíaco, que foi transmitido nos cinemas de todo o Brasil ainda no final do ano supracitado.

Edu Falaschi, também gravou em meados de 2006, o novo álbum de estudio do Angra, chamado Aurora Consurgens, sexto álbum da banda, que mesmo antes de seu lançamento oficial, já havia recebido críticas excelentes em todo o mundo, principalmente na Europa e Japão. Uma longa turnê mundial se iniciou em setembro do mesmo ano, sendo interrompida por conta de problemas extra musicais envolvendo pessoas ligadas à parte administrativa do grupo.

Com a paralisação do Angra, Edu Falaschi resolveu reformular o projeto Almah, transformando-o dessa vez numa banda propriamente dita. A banda Almah com seu novo “line-up”, chegou inovando no mercado fonográfico com um CD conceitual, intitulado Fragile Equality, que conta com letras baseadas numa estória fictícia, cujo tema principal é o equilíbrio entre todos os elementos do universo. Fragile Equality foi lançado no mês de setembro de 2008, através das gravadoras JVC (Ásia), AFM (Europe/USA) e Laser Company (Brasil/América latina) o seu segundo disco, sendo apontado com um dos principais lançamentos do ano, pelos principais veículos especializados em Heavy Metal em todo o globo. Em paralelo aos inúmeros prêmios conquistados com o álbum Fragile Equality, o quinteto caiu na estrada para uma turnê brasileira em sua promoção, que abrangeu algumas das principais cidades do país.

Em 2009, a atual turnê do Almah, em suporte ao álbum Fragile Equality, foi intercalada com a turnê de retorno do Angra. Em 2010, o Angra lançou o sétimo trabalho de estúdio, chamado AQUA, com grande repercussão mundial. Este trabalho foi todo baseado na obra de Shakespeare A Tempestade. Após o lançamento, Edu esteve ao lado de seus companheiros de Angra, numa extensa turnê mundial, passando por Japão, Estados Unidos, Europa, America do Sul e Brasil. Em Setembro de 2011, a banda ANGRA fez seu último show com Edu Falaschi, no maior festival do mundo, ROCK IN RIO, encerrando a turnê do CD Aqua.

Em Janeiro de 2011, paralelamente a turnê mundial do Angra, Edu se reuniu com seus parceiros de ALMAH e começaram a trabalhar no mais novo álbum de estúdio da banda, MOTION. Compuseram, arranjaram e gravaram, em meados de Fevereiro, Março e Abril. Tudo foi registrado no NORCAL STUDIOS em São Paulo (em Maio e Junho) e a mixagem e masterização foi toda feita na Europa, Holanda, no SPLIT SECOND SOUND STUDIOS por Jochem Jacobs em Julho.

Esse é o trabalho de maior importância na carreira do grupo, já que marca definitivamente a linguagem e o estilo próprio da banda. Como parte do trabalho, ainda em agosto de 2011 a banda gravou dois video-clipes, “Trace Of Trait” e “Late Night In ’85″, que fez parte do material de divulgação de MOTION. O CD foi lançado em Setembro de 2011, pelas mesmas gravadoras que lançaram os trabalhos anteriores. Após o lançamento mundial do Motion a banda Almah entrou em uma extensa turnê pelo Brasil, passando por diversas das principais cidades do país. Em 24 de maio de 2012, Edu Falaschi publicou uma nota anunciando sua saída do ANGRA. Ele não explicou os motivos, mas disse que vai se dedicar aos seus outros projetos, como a banda Almah e seu trabalho como produtor.